Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Antropologia
 
Disciplina: FLA0331 - Antropologia e História: Debates em Região de Fronteira
Anthropology and History: debates in border region

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2011 Desativação:

Objetivos
O objetivo desse curso é desenvolver o debate entre áreas de fronteira como a Antropologia e a História. “Boas Vizinhas”, na feliz expressão de Robert Darnton, as duas disciplinas vêm mantendo polêmicas relevantes, não tanto em função da coincidência de objetos, mas antes por conta da profundidade dos conceitos e temas envolvidos: circularidade e dinâmica cultural; estrutura e acontecimento; diacronia e sincronia; mentalidades e longa duração; permanência e conflito. A idéia é recuperar textos que analisaram teoricamente a questão, assim como obras que “na prática” realizaram e efetivaram esse debate entre as disciplinas.
 
 
 
Programa Resumido
 
 
 
Programa
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas (com apoio na análise de textos, projeção de slides e de transparências) e seminários apresentados pelos alunos.
Critério
1. PROVA ESCRITA INDIVIDUAL. (Nota mínima de aprov. 4.0). (60% da média)
2. Resenha de um dos livros da bibliografia em anexo (optativa e acrescenta um ponto à média final)
3. DOIS SEMINÁRIOS EM GRUPO (PREVIAMENTE ESCOLHIDOS). (40% da média)
a) um como apresentador
b) outro como debatedor
c) relatório de grupo referente ao seminário apresentado. (O RELATÓRIO DEVERÁ SER APRESENTADO DUAS SEMANAS APÓS A REALIZAÇÃO DO SEMINÁRIO)
Atividades obrigatórias cuja não participação implicará na perda de dois pontos na média final --no caso da apresentação-- e um ponto -- quando a ausência for por ocasião do debate).
Norma de Recuperação
A recuperação nesta disciplina será feita a partir de uma prova escrita individual e sem consulta, um relatório de seminário (diferente do apresentado em classe) e entrevista individual.
 
Bibliografia
     
1a sessão: 15 e 17 de setembro
Discussão do programa e divisão final dos seminários
2ª sessão: 22 e 24 de setembro
Para começar: “Boas vizinhas mas nem tanto”
Darnton, Robert. “Boas vizinhas” In: O beijo de Lamourette, São Paulo, Companhia das Letras, 1990. Ginzburg, Carlo. “O inquisidor como antropólogo”. In: A micro-história e outros ensaios. Lisboa, Difel, 1989.
3a sessão: 29 de setembro e 1 de outubro
A Escola dos Annales e suas gerações
Braudel, Fernand. “História e Ciências Sociais. A Longa Duração” in Escritos sobre a história. São Paulo, Perspectiva, 1978.
Seminário 1: Bloch, Marc. Os reis taumaturgos. São Paulo, Companhia das Letras, 1993 (última parte) e Le Goff, J. - “Prefácio”, In: Bloch, M. op. cit.
4ª sessão: 06 e 08 de outubro
Mauss, Marcel - “Ensaio sobre a dádiva”. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo, Cosac & Naify, 2004.
Seminário 2: Le Roy Ladurie. Montaillou. Cátaros e católicos numa aldeia francesa 1294-1324. São Paulo, Companhia das Letras, 1997 (Introdução e capítulo1).
5ª sessão: 13 e 15 de outubro
Franz Boas e os impasses do culturalismo com relação à história
Stocking, George. Victorian Anthropology. New York/London, Free Press/Collier Macmillan, 1987. (Introdução - tradução em português será providenciada) Schwarcz, Lilia Moritz. O espetáculo das raças. São Paulo, Companhia das Letras, 1993 (cap. 2 “Uma história de diferenças e desigualdades”: as doutrinas raciais do século XIX).
Seminário 3: Franz Boas. Antropologia cultural. Rio de Janeiro, Zahar, 2004 (caps. 1,2,3).
6ª sessão: 20 e 22 de outubro
O estrutural-funcionalismo e a negação da história
Radcliffe-Brown Estrutura e função na sociedade primitiva. Petrópolis, Vozes, 1973. (Introdução p. 9-26, Sobre o conceito de função nas ciências sociais p. 220-231, Sobre a estrutura social p. 232 a 251.)
Leituras Complementares: Stocking, Jr., George. “Radcliffe-Brown and British Social Anthropology” In: Funtionalism historicized: Essays on British Social Anthropology. Madison: The University of Wiscosin Press, 1984 e Kuper, Adam Antropólogos e antropologia. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1978 (cap. 2 Radcliffe-Brown e cap. 3 Malinowski)
Seminário 4: Malinowski, B. A vida sexual dos selvagens. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1983.
27 e 29 de outubro: ANPOCS. Não há aula.
7a sessão: 03 e 05 de novembro
Lévi-Strauss e a paz armada: estrutura e sincronia
Lévi-Strauss, Claude. “História e Etnologia”. In: Antropologia estrutural. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1975 e “História e Etnologia”. In: Textos Didáticos. Campinas, IFCH/UNICAMP, n. 24, 1996.
Leitura Complementar: Lévi-Strauss, Claude - Tristes Trópicos. São Paulo, Companhia das Letras, 1997.
Seminário 5: Lévi-Strauss, Claude. “A eficácia simbólica” e “O feiticeiro e sua magia”. In: Antropologia estrutural. Rio de janeiro, Tempo Brasileiro, 1975.
8ª sessão: 10 e 12 de novembro
Evans-Pritchard e outra longa história
Evans-Pritchard, E.E Antropologia social. Lisboa, edições 70, 1978
Leitura Complementar: Kuper, Adam Antropólogos e antropologia. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1978 (cap. 4 Evans-Pritchard)
Seminário 6: Evans-Pritchard. Os Nuer. São Paulo, Perspectiva, 1978 (Introdução, cap. 1 e 3).
9ª sessão: 17 e 19 de novembro
Estrutura e História: M. Sahlins ou as desventuras de um lono burguês.
Sahlins, M.Ilhas de História. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1994 (Introdução, caps. 1 e 5)
Seminário 7: Sahlins, M. “Cosmologias do capitalismo” In: Religião e Sociedade, n. 16, 1992. Sahlins, M. Como pensam os nativos, São Paulo, Edusp, 2001 (Introdução e cap. 1).
10ª sessão: 24 e 26 de novembro
Pensando a questão da “historicidade”.
Lefort, Claude. As formas da história. São Paulo, Brasiliense, 1979. (caps. 1 e 2)
Seminário 8: Darnton, Robert. “Histórias que os camponeses contam” e “O grande massacre de gatos”. In: O grande massacre de gatos. Rio de Janeiro, Graal, 1986.
11ª sessão: 01 e 03 de dezembro
Carlo Ginzburg: uma história profunda e indiciária
Ginzburg, Carlo. “Sinais: raízes de um paradigma indiciário”. In: Mitos, emblemas e sinais. São Paulo, Companhia das Letras, 1988; Ginzburg, Carlo. O queijo e os vermes. São Paulo, Companhia das Letras, 1987 (Introdução), Bahktin. Cultura popular na Idade Média e no Renascimento. São Paulo, Hucitec, 1987 (Introdução).
Seminário 9: História noturna: decifrando o sabá. São Paulo, Companhia das Letras, 1988 (Introdução; “Acompanhando a deusa”; Conclusão).
12a sessão: 08 e 10 de dezembro
Geertz e o significado em contexto
Geertz, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro, Zahar, 1976 (cap. 1) e Geertz, C. Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro, Zahar, 2001. (cap. 3 “O anti-anti relativismo”) KUPER, Adam. “C. Geertz: cultura como religião e como grande ópera”. In: Cultura: a visão dos antropólogos. Bauru, Edusc, 2002.
Seminário 10: Negara. Um estado teatro no século XIX. Lisboa, Difel, 1980
13a sessão: 15 e 17 de dezembro
Uma história antropológica
Novais, Fernando. História da vida privada no Brasil. São Paulo, Companhia das Letras, 1997. (Vol. 1. Introdução e “Condições de privacidade na colônia” e Vol 4. Conclusão).
Seminário 11: Freire, Plinio Costa. Um herege vai ao paraíso. São Paulo, Companhia das Letras, 1998.
14a sessão: 5 e 7 de janeiro
Uma antropologia histórica
Schwarcz, Lilia. As barbas do imperador São Paulo, Companhia das Letras, 1998. (introdução e conclusão)
Seminário 12: Carneiro da Cunha, Manuela. Negros estrangeiros. São Paulo, Brasiliense, 1979 (conclusão).
 

Clique para consultar os requisitos para FLA0331

Clique para consultar o oferecimento para FLA0331

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP