Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Antropologia
 
Disciplina: FLA0353 - Espaço Urbano, Segregação e Urbanismo na Perspectiva Antropológica
Urban space, segregation, and urbanism in Anthropological perspective

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2011 Desativação:

Objetivos
Na primeira parte do curso, serão abordadas questões voltadas à compreensão do caráter relacional das modalidades de interação no contexto urbano, através da análise detida dos conceitos de sociabilidade, espacialidade e contexto situacional, com base na produção estrangeira a respeito.
Na segunda parte, procurar-se-á avaliar como tais enfoques iluminam a discussão de problemas atuais da antropologia urbana, através do exame de investigações recentes que dialogam com essa tradição, através do enfoque de territorialidades como periferia, centro, bairros e outras, com atenção especial à produção brasileira.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
871656 - Heitor Frúgoli Junior
 
Programa Resumido
 
 
 
Programa
1. Enfoques sobre sociabilidade, espacialidade e contexto situacional; 2. Abordagens etnográficas sobre usos socioculturais do espaço urbano.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, seminários, vídeos.
Critério
Prova individual e seminários.
Norma de Recuperação
Prova escrita.
 
Bibliografia
     
- Agier, M. “Lugares e redes: as mediações da cultura urbana”, p. 41-63 de Niemeyer, A. M. & Godoi, E. P. (orgs.). Além dos territórios; para um diálogo entre a etnologia indígena, os estudos rurais e os estudos urbanos. Campinas, Mercado das Letras, 1998.
- Arantes, A. A. “A guerra dos lugares”, p. 103-129 de Paisagens paulistanas: transformações do espaço público. Campinas, Ed. Unicamp, 2000.
- Bidou-Zachariasen, C. “Introdução”, p. 21-57 de Bidou-Zachariasen, C.; Hiernaux-Nicolas, D.; Rivière d’Arc, H. (orgs.). De volta à cidade: dos processos de gentrificação às políticas de “revitalização” dos centros urbanos. São Paulo, Annablume, 2006.
- Carman, M. “La invención del barrio noble”, p. 133-161 de Las trampas de la cultura; los “ intrusos” y los nuevos usos del barrio de Gardel. Buenos Aires, Paidós, 2006.
- Cordeiro, G. Í. & Firmino da Costa, A. “Bairros; contexto e intersecção”, p. 58-79 de Velho, G. (org.). Antropologia urbana: cultura e sociedade no Brasil e em Portugal, Jorge Zahar, Rio de Janeiro, 1999.
- Coulon, A., “Os métodos de pesquisa”, p. 81-122 de A Escola de Chicago. Campinas, Ed. Papirus, 1995.
- Durham, E. R. “A pesquisa antropológica com populações urbanas”, p. 357-376 de Durham, E. R. A dinâmica da cultura, São Paulo, Cosac & Naify, 2004 [1986].
- Elias, N. & Scotson, J. L. “Introdução”, p. 19-50 e “Conclusão”, p. 165-189, de Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2000 [1965].
- Eufrasio, M. “A temática da sociabilidade na escola sociológica de Chicago”, p. 37-44 de Sociabilidades/ Laboratório de Análises da Sociabilidade Contemporânea. Deptº. de Sociologia, FFLCH, USP, São Paulo, 1996.
- Evans-Pritchard, E. E. “Os Nuer do sul do Sudão”, p. 469-509 de Evas-Pritchard & Meyer-Fortes (orgs.). Sistemas políticos africanos. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1981.
- Frehse, F. “Do impacto da modernidade sobre a civilidade das elites nas ruas de São Paulo no século XIX”, p. 198-227 de Frúgoli Jr., H.; Andrade, L. T.; Peixoto, F. A. (orgs.). As cidades e seus agentes: práticas e representações. Belo Horizonte, Ed. PUC-Minas/Edusp, 2006.
- Frúgoli Jr., H. “A questão dos camelôs no contexto da revitalização do centro da metrópole de São Paulo”, p. 151-165 de Souza, M. A. A. et al. (org.). Metrópole e globalização: conhecendo a cidade de São Paulo. São Paulo, Cedesp, 1999.
- Frúgoli Jr., H. “Conflitos e negociações em torno da requalificação do centro de São Paulo: a Associação Viva o Centro”, p. 29-62 de Plural nº 8, São Paulo, PPGS/ USP, 2º sem./ 2001.
- Frúgoli Jr., H. “O urbano em questão na antropologia: interfaces com a sociologia”, p. 107-124 da Revista de Antropologia vol. 48, nº 1, São Paulo, Departamento de Antropologia da USP, jan.-jul./2005. (disponível no Scielo)
- Gomes, L. G. “La Maison des Métallos: representações e estratégias de preservação do patrimônio no leste parisiense”, p. 128-149 de Frúgoli Jr., H.; Andrade, L. T.; Peixoto, F. A. (orgs.) As cidades e seus agentes: práticas e representações. Belo Horizonte, PUC-Minas/Edusp, 2006.
- Joseph, I. “A respeito do bom uso da Escola de Chicago”, p. 91-128 de Valladares, L. P. (org.). A Escola de Chicago: impactos de uma tradição no Brasil e na França. Belo Horizonte & Rio de Janeiro, Ed. UFMG/ IUPERJ, 2005 [1998].
- Leite, R. P. “Margens do dissenso: espaço, poder e enobrecimento urbano”, p. 23-44 de Frúgoli Jr., H.; Andrade, L. T.; Peixoto, F. A. (orgs.) As cidades e seus agentes: práticas e representações. Belo Horizonte, PUC-Minas/Edusp, 2006.
- Magnani, J. G. C. “Trajetos e trajetórias – uma perspectiva da antropologia urbana”, p. 30-43 de Sexta-Feira nº 8, São Paulo, Ed. 34, 2006 (entrevista concedida ao corpo editorial).
- Mitchell, J. C. A dança kalela: aspectos das relações sociais entre africanos urbanos na Rodésia do Norte [1956]. Apostila, 2006 (p. 1-27).
- Peirano, M, “Antropologia no Brasil (alteridade contextualizada)”, p. 225-266 de Miceli, S. (org). O que ler na ciência social brasileira (1970-1995), São Paulo/Brasília, Ed. Sumaré/Anpocs, 1999, vol. 1 (Antropologia).
- Santos, C. N. F. dos; Vogel, A; Mello, M. A. da S. Cap. “Os trabalhos e os dias”, p. 65-110, de Quando a rua vira casa: a apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro. São Paulo, IBAM/FINEP/Projeto, 1985, 3ª ed.
- Simmel, G. “As grandes cidades e a vida do espírito” [1903], p. 577-591 de Mana vol. 11, nº 2, Rio de Janeiro, Museu Nacional, out./2005. (disponível no Scielo)
- Simmel, G. “O estrangeiro”, p. 182-188 de Moraes, E. (org.). Sociologia: Simmel. São Paulo, Ed. Ática, 1983 [1908].
- Simmel, G. “Sociabilidade – um exemplo de sociologia pura ou formal”, p. 165-181 de Moraes, E. (org.). Sociologia: Simmel. São Paulo, Ed. Ática, 1983 [1917].
- Velho, G. “Os mundos de Copacabana”, p. 11-23 de Velho, G. (org.). Antropologia urbana: cultura e sociedade no Brasil e em Portugal, Rio de Janeiro, 1999.
- Vianna, H. “Paradas do sucesso periférico”. p. 19-29 de Sexta-Feira nº 8, São Paulo, Ed. 34, 2006.
- Viveiros de Castro, E. “O conceito de sociedade em antropologia”, p. 295-316 de A inconstância da alma selvagem. São Paulo, Cosac & Naify, 2002 [1996].
- Wacquant, L. J. D. “Três premissas perniciosas no estudo do gueto norte-americano”, p. 145-161 de Mana. Estudos de Antropologia Social vol. 2, nº 2, Rio de Janeiro, Museu Nacional, out./1996. (disponível no Scielo)
- Wacquant, L. J. D. Os condenados da cidade: estudos sobre marginalidade avançada. Rio de Janeiro, Revan/Fase, 2001 (p. 13-18 e 125-148).

 

Clique para consultar os requisitos para FLA0353

Clique para consultar o oferecimento para FLA0353

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP