Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Antropologia
 
Disciplina: FLA0355 - Corpo, Substância, Pessoa. Leituras de Etnologia Ameríndia
Body, substance, person. Readings in Amerindian Ethnology

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2011 Desativação:

Objetivos
Presentes na reflexão antropológica desde seus primórdios, Corpo, Substância e Pessoa são categorias cuja produtividade para a análise das sociedades ameríndias já estava prefigurada na obra de Lévi-Strauss em meados da década de 1960. O curso pretende acompanhar os desdobramentos do tema, considerando a importância ainda central da discussão sobre a corporalidade nas etnografias e nos modelos comparativos mais recentes.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1247932 - Marta Rosa Amoroso
 
Programa Resumido
Unidade I - Corpo, Sentidos. Um tema para a Antropologia
Unidade II - Corporalidade: uma categoria analítica para as terras baixas sul-americanas
Unidade III - Noções de Substância e Pessoa.
 
 
 
Programa
A construção das noções de pessoa, substância e corpo como categorias antropológicas; a aplicação dessas categorias no estudo das sociedades ameríndias.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, vídeos, seminários.
Critério
4 Resenhas críticas individuais (Unidades II, III, IV, V e VI).
Norma de Recuperação
Prova
 
Bibliografia
     
Unidade I - Corpo, Sentidos. Um tema para a Antropologia
Mauss, M. 2003 [1950]. “Efeito físico no indivíduo da idéia de morte sugerida pela coletividade (Austrália, Nova Zelândia)”; “Uma categoria do espírito humano: a noção de pessoa. a de ‘eu’ ”; “As técnicas do corpo” in: Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac & Naify pp. 349-420.
Lévi-Strauss, C. 1991 [1971]. O Cru e o Cozido (trad. Beatriz Perrone-Moisés). São Paulo: Brasiliense.

Unidade II - Corporalidade: uma categoria analítica para as terras baixas sul-americanas
Overing (Kaplan), Joanna. 1977. “Comments (Symposium ‘Social time and social space in lowland South American societi’)”. Actes du XLII Congrès International des Américanistes, vol. II, pp. 387-94.
A-C Taylor. 1984. “L’ americanisme tropical: une frontiere fossile de l’ ethnologie?”in: B. Rupp-Eisenreich (org.). Histoires de l’ anthropologie: XVI-XIX siècles. Paris: Klinksieck, pp. 213-35.

Unidade III – Noções de Substância e Pessoa.
Melatti, Julio Cezar. 1976. “Nominadores e Genitores: um aspecto do dualismo krahó”, in: Schaden, Egon Leituras de Etnologia Brasileira São Paulo: Companhia Editora Nacional, pp. 139-48.
Carneiro da Cunha, M. 1978. Os mortos e os outros: uma análise do sistema funerário e da noção de pessoa entre os índios Krahó. São paulo: Hucitec.
Seeger, A., DaMatta, R. & Viveiros de Castro, E. 1979. “A construção da pessoa nas sociedades indígenas brasileiras”. Boletim do Museu Nacional n. 32.
Viveiros de Castro, Eduardo. 1979. “A fabricação do corpo na sociedade xinguana”. Boletim do Museu Nacional n. 32.
__2002. “Esboço de cosmologia yawalapiti”, in: A inconstância da alma selvagem - e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac & Naify

Unidade IV - A produção do corpo e os sentidos de comunidade
Overing, Joanna. 1991. “A estética da produção: o senso de comunidade entre os Cubeo e os Piaroa”. Revista de Antropologia, 34, pp. 7-33.
Hugh-Jones, Stephen. 2002. “ Nomes secretos e riqueza visível: nominação no noroeste amazônico”. Mana. 8 (2): 45-68.
Gow, Peter. 1997. “O parentesco como consciência humana: o caso dos Piro”. Mana. 3 (2). 39-65.
Viegas, Susana de Matos. 2003. “Eating with your favourite mother: time and sociality in a brazilian amerindian community”. Royal Anthropological Institute. 9 (1), 21-37.

Karadimas, Dimitri. 2000. “La parole engendrée. Analyse des conceptions miraña de la prise de coca”, in: Jamard, J-L., Terray, E. et Xanthakou, M (orgs) En substances. Textes pour Françoise Héritier. Paris: Fayard, pp. 443-56.
A-C Taylor. 1993. “Remembering to forget: identity, mourning and memory among the Jívaro”. Man, 28 (4), pp. 653-78.
__.1996. “The soul’s body and its states: an Amazonian perspective on the nature of being human”. Journal of Royal Antropological Institute, 1 (2), pp. 201-15.

Unidade V - Predação: o que se assimila do inimigo – Nomes, Cantos, Substâncias, Energia, Identidade
Chaumeil, Jean-Pierre. 1985. “L’échange d´énergie: guerre, identité et reproduction sociale chez les Yagua de l’Amazonie péruvienne”. Journal de la Société des Américanistes , 71 pp143-157.
Vilaça, Aparecida. 1992. Comendo como gente: formas do canibalismo wari’. R.J.: Editora UFRJ
Viveiros de Castro, E. 2002. “A imanência do inimigo”, in: A inconstância da alma selvagem - e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac & Naify
Fausto, Carlos. 2002. “”Banquete de gente:comensalidade e canibalismo na Amazônia”. Mana 8 (2): 7-44.

Unidade VI. Animismo, Perspectivismo.
Descola, P. 1986. La Nature domestique: symbolisme et praxis dans l´ecologie des Achuar. Paris: Maison des Sciences de L´Homme.
Lima, Tania Stolze. 1996. “O dois e seu múltiplo. reflexões sobre o perspectivismo em uma cosmologia tupi”. Mana, 2 (2), pp. 21-47.
__2002. “O que é um corpo?” Religião e Sociedade vol. 22 n.1. R.J.: ISER
Viveiros de Castro, E. 2002. “Perspectivismo e multinaturalismo na América indígena”, in: A inconstância da alma selvagem - e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac & Naify

 

Clique para consultar os requisitos para FLA0355

Clique para consultar o oferecimento para FLA0355

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP