Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Antropologia
 
Disciplina: FLA0359 - Lendo Imagens
Reading images

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2011 Desativação:

Objetivos
O objetivo do curso é estabelecer um diálogo interdisciplinar, realizando uma leitura, ao mesmo tempo, histórica, antropológica e social de determinadas telas e imagens pictóricas. O material para reflexão se concentrará nas pinturas neoclássicas do gênero de história (com algumas inclusões de outros modelos de pintura e suportes de imagens) produzidas pela, assim chamada, “Missão francesa” e pela futura Academia Imperial de Belas Artes, fundada em 1826. É justamente nos trópicos que esse gênero vivenciará uma espécie de “mal-entendido”, uma vez que a realidade pouco se adequava ao motivo nobre da escola. Em questão estará, portanto, não só recuperar uma leitura original e local, como a noção de que a imagem representa um suporte fundamental na produção de representações sociais, amplamente negociadas.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
2085152 - Lilia Katri Moritz Schwarcz
 
Programa Resumido
 
 
 
Programa
- Análise de pinturas neoclássicas produzidas no século XIX no Brasil
- Reflexão teórica sobre antropologia da arte e história social da arte.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Seminários, aulas expositivas e aulas extras na Pinacoteca, no Museu Paulista e no Museu Afro-Brasil.
Critério
1. Dois seminários (um como apresentador e outro como debatedor)
2. Uma prova final ou um trabalho (previamente acordados)
Norma de Recuperação
O aluno deverá realizar uma prova escrita individual, entregar um trabalho e realizar uma entrevista com o professor e os monitores da disciplina.
 
Bibliografia
     
UNIDADE1: Limites e possibilidades de uma história social da arte

-Uma leitura de fontes e uma análise social da arte.
GINZBURG, Carlo. Baxandall. Padrões de intenção. Introdução e Capítulo 1.
Seminário 1: Velasquez e a leitura de Foucault
Foucault, Michel. “Las meninas” In Arqueologia do saber. São Paulo, Martins Fontes, 1998.

- Uma história social da arte: de Aby Warburg a Carlo Ginzburg.
Bibliografia: GINZBURG, Carlo. “De Warburg a Gombrich”. In: Mitos, emblemas e sinais – Morfologia e História. São Paulo, Companhia das Letras, 1990.
WIND, Edgar: A eloquência dos símbolos. São Paulo, Edusp, 1997. Cap. 2.
Leitura Complementar: BURUCÚA, José Emílio: História, arte, cultura: De Aby Warburg a Carlo Ginzburg. Argentina, Fóndo de Cultura Econômica, 2003.
Seminário 2: Piero de La Francesca na leitura de Ginzburg
GINZBURG, Carlo. Indagações sobre Piero: O Batismo, o ciclo de Arezzo, a Flagelação. São Paulo, Paz e Terra, 1989.

- Wolfflin e o elogio de uma escola formalista.
WOLFFLIN, Heinrich. Conceitos Fundamentais da História da Arte. São Paulo, Martins Fontes, 2000.
Seminário 3: Renascimento e barroco na perspectiva de Wolfflin
WOLFFLIN, Heinrich. Renascença e Barroco. São Paulo, Perspectiva, 2005.

- Erwin Panofsky e a iconologia como método.
PANOfSKY, Erwin. “A História da Arte como uma disciplina humanística” e “Iconografia e Iconologia: uma introdução ao estudo da arte da Renascença”. In: Significado nas Artes Visuais. São Paulo, Perspectiva, 1991.
Seminário: Nicolas Poussin entre a iconologia e o formalismo
PANOFSKY, Erwin: “‘Et in Arcádia Ego’: Poussin e a tradição elegíaca”. In: Significado nas Artes Visuais. São Paulo, Perspectiva, 1991.
WEISBACH, Werner: “Et in Arcádia Ego”. In: A Pintura – textos essenciais, vol. 8: Descrição e Interpretação. São Paulo, Ed. 34, 2005.
Leitura Complementar: MARIN, Louis: Sublime Poussin. São Paulo, Edusp, 2001.

- As telas falam entre si
GOMBRICH, Ernst H. Arte e Ilusão – um estudo da psicologia da representação pictórica. São Paulo, Martins Fontes, 1995
Seminário 3: Símbolos da revolução
STAROBINSKY, Jean. Os emblemas da razão. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

- “Pintura neoclássica”.
FRIEDLAENDER, Walter. De David a Delacroix. São Paulo, Cosac & Naify, 2001; PEVSNER, Nikolaus. “Introdução à edição brasileira” e “A volta ao antigo, o mercantilismo e as academias de arte”. In: Academias de Arte: passado e presente. São Paulo, Companhia das Letras, 2005, p. 9-20 e p. 191-234.
WINCKELMANN, Johann Joachim: Reflexões sobre a Arte Antiga. Porto Alegre: Movimento e Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1975.
Seminário 4: David.
CLARK, T. J. Modernismos. São Paulo, Cosac & Naify, 2007. Análise da tela “A morte de Marrat”.


UNIDADE 2: As virtudes dos trópicos: traduzindo o neoclassicismo no Brasil

- Neoclassicismo e os trópicos.
MIGLIACCIO, Luciano. “O século XIX”. In: Mostra do Redescobrimento - Arte do Século XIX. São Paulo, Fundação Bienal de São Paulo/Associação Brasil 500 anos Artes Visuais, 2000; NAVES, Rodrigo. “Debret, o Neoclassicismo e a escravidão”. In: A forma difícil: ensaios sobre arte brasileira. São Paulo, Ática, 1996; LIMA, Valéria. Uma viagem com Debret. Rio de Janeiro, Zahar, 2004.
Seminário 5: Debret e sua viagem
DEBRET, Jean Baptiste. Viagem pitoresca e histórica ao Brasil. Belo Horizonte/São Paulo, Itatiaia/Editora da Universidade de São Paulo, 1989.

- Missão ou a colônia de artistas franceses. Impasses com a historiografia.
TAUNAY, Afonso de E. A missão artística de 1816. Rio de Janeiro, Ministério da Educação e Cultura, 1956. (cap. 1 e 2); SCHWARCZ, Lilia M. A Colônia Lebreton. (mimeo)
Leitura Complementar: PEDROSA, Mário. “Da Missão Francesa - seus obstáculos Políticos”. In: ARANTES, O. (org.). Acadêmicos e Modernos: textos escolhidos de Mário Pedrosa, v. III. São Paulo: EDUSP, 1998, p. 39-114.
Aula: “Taunay e seus trópicos”.

- A escravidão como limite da tela neoclássica.
SCHWARZ, Roberto. “As idéias fora do lugar”. In: Ao vencedor as batatas: forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. São Paulo, Duas Cidades/Editora 34, 2003, p. 11-31; SCHWARZ, Roberto. “Nacional por subtração”. In: Que horas são? Ensaios. São Paulo, Companhia das Letras, 2002, p. 29-48; ALENCASTRO, Luis Felipe. (org.) “Epílogo”. In: História da vida privada v. 2 - Império: a corte e a modernidade nacional São Paulo, Companhia das Letras, 1998.
- A Escola Imperial de Belas Artes.
DE LOS RIOS FILHO, Adolfo Morales. “O ensino artístico. Subsídio para a sua história. Um capítulo: 1816-1916”. In: III Congresso de História Nacional. Rio de Janeiro, IHGB, 1938. Reproduzido em Anais do III Congresso de História Nacional. Rio de Janeiro, v. 8, 1942, p. 3-429.
Seminário 6: “Independência ou morte”.
MATOS, Cláudia Valadão de. “Independência ou Morte! O Quadro, a Academia e o Projeto. Nacionalista do Imperador”. In: OLIVEIRA, Cecília Helena Sales de & MATOS, Cláudia Valladão (orgs). O Brado do Ipiranga. São Paulo, EDUSP, 1999.

- A Escola Imperial de Belas Artes e d. Pedro II: Um mecenato oficial.
SCHWARCZ, Lilia. As barbas do Imperador. São Paulo, Companhia das Letras, 1998, p. 125-157 (capítulo 7).
Seminário 7: “A primeira missa”.
COLI, Jorge. “A Primeira Missa”. Nossa História. Rio de Janeiro, n. 1, nov. 2003, p. 19-24.


UNIDADE 3: Novos nacionalismos, novos regionalismos.
- Almeida Junior: nacionalidade e regionalismos.
(Aula Daniela Perutti)
NAVES, Rodrigo. “O sol no meio do caminho”. Novos estudos CEBRAP. São Paulo, n. 73, nov. 2005, p. 135-148; COLI, Jorge. “A violência e o caipira (Sobre Almeida Júnior)”. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v. 30, 2003, p. 23-32. SOUSA, Gilda de Melo e. “Pintura Brasileira Contemporânea: os precursores”. In: Exercícios de leitura. São Paulo, Duas Cidades, 1980.
Seminário 8: “As fissuras da Academia”.
ALVES, Caleb Faria. “Introdução”, Cap. 2: “Um caiçara em Paris”, Cap. 3: “As fissuras da Academia” e Cap. 4: “Imagens da Transformação”. In: Benedito Calixto e a construção do imaginário republicano. Bauru, Edusc, 2003.
Leitura Complementar: ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento: A temática regional. In: Anais do Museu Paulista, São Paulo, nº 35, 1987.

- A decadência do modelo: outros mecenatos.
ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento . “Fronteiras da sociologia da cultura no Brasil. Temas e Problemas”. In: César Barreira, Rubem Murilo Leão Rego, Tom Dwyer. (Org.). Sociologia e conhecimento além das fronteiras. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2006, v. 1, p. 65-77
ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento . Pensamento brasileiro e sociologia da cultura: questões de interpretação. In: Maria Arminda do Nascimento Arruda. (Org.). História e Sociologia: O Brasil entre dois séculos. 01 ed. Lisboa: Centro de História da Universidadede Lisboa, 2006, v. 14/15, p. 131-141.
LOURENÇO, Maria Cecília França: A maioridade do moderno em São Paulo: anos 30 e 40. Tese de Doutorado, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, 1990.
Seminário 9: Retratos do Modernismo
MICELI, Sérgio. Imagens negociadas: retratos da elite brasileira (1920-1940). São Paulo, Companhia das Letras, 1996.
 

Clique para consultar os requisitos para FLA0359

Clique para consultar o oferecimento para FLA0359

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP