Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Antropologia
 
Disciplina: FLA0365 - Antropologia da Política
Anthropology of Politics

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2016 Desativação:

Objetivos
O curso permitirá o exame crítico da lei e do Estado como princípio de inteligibilidade do fenômeno político e jurídico no pensamento antropológico; da política como domínio substantivo da vida social; e a proposição da precedência analítica do conflito em relação à ordem.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
5008136 - Ana Claudia Duarte Rocha Marques
 
Programa Resumido
O curso tem por propósito de examinar e colocar em discussão, através de postulados e objeções etnográfica ou teoricamente construídos, duas suposições implícitas ao pensamento político dominante nas ciências sociais e no senso comum. Um deles corresponde à ideia da política como um domínio próprio da vida social, idéia indissociável de um ideal democrático despojado de toda impureza impeditiva de sua realização. Outro confere ou atribui ao Estado a centralidade e chave de inteligibilidade de todo fenômeno político. O curso privilegiará, nesse duplo intuito, abordagens que de qualquer forma discutam concepções de política e de poder e enfoquem relações entre política, parentesco, indivíduo e comunidade, todas essas noções que se colocarão em discussão no mesmo processo e em razão do mesmo procedimento.
 
 
 
Programa
Os sucessivos deslocamentos do político e da política como objeto antropológico operados por diferentes autores, em diversos momentos e escolas da disciplina.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, seminários, leituras dirigidas.
Critério
Resenhas dos textos discutidos em aula, prova, trabalho, participação ao longo do curso (exposição resumida de textos, discussões).
Norma de Recuperação
Prova individual em data a definir sobre o conteúdo total do programa. A nota final dos alunos em recuperação resulta da média da primeira e segunda avaliação [(nota final do curso + recuperação)/2)].
 
Bibliografia
     
ABÈLES, Marc 1991. "Avoir du Pouvoir Politique". In: Martine Segalen (org.) Jeux de Familles. Paris, CNRS Éditions. pp. 79-99. BAILEY, F. G. 1871. Gift and poison. The Politics of Reputation. Oxford: Basil Blackwell. PP 1-21; 182-201. BOURDIEU, Pierre. 1989. “A representação política. Elementos para uma teoria do campo político”. In. O Poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand. PP. 131-151. BEZERRA, Marcos O. 2004. “La Politique vue d’en Bas”. Critique LX, 680-1, pp. 66-76. CAÑEDO, Letícia B. 1994. “Caminhos da memória: parentesco e poder”. Textos de História 2(3): 85-122. ________ 1998. La production généalogique et les modes de transmission d'un capital politique familial dans le Minas Gerais brésilien. Genèses ,2 (31): 4-28. ________. 2002. “Herança na política ou como adquirir disposições e competências necessárias às funções de representação política (1945-1964)". Pró-Posições, 13 (3): 169-198 CARVALHO, José. M. 1997. “Mandonismo, Coronelismo, Clientelismo: uma discussão conceitual”. Dados, 40 (2): 229-251. CHAMPAGNE, Patrick. 1990. Faire l’Opinion. Paris: Lês editions de minuit CLASTRES, Pierre. 2003 [1974]. A Sociedade contra o Estado. São Paulo: Cosac & Naify.Pp: 45-62. CLASTRES, Pierre. 2004. Arqueologia da Violência. São Paulo: Cosac & Naify.Pp: 231-270. CURTIS, J.; SPENCER, J. 2012. “Anthropology and the Political”. In: R. Fardon et al. (Eds..) Sage Handbook of social Anthropology vol. 1. Londres: Sage. DONZELOT, Jacques. 1986. A Policia das Famílias. Rio de Janeiro: Graal. EISENSTADT, S.N. ET RONIGER, L. 1984. Patrons, Clients and Friends. Cambridge, Cambridge University Press. EVANS-PRITCHARD, Edward 1940. The Nuer. Oxford: Clarenton Press. FOUCAULT, Michel. 1994. Dits et Ecrits (4 vols). Gallimard, Paris. “As malhas do pode” (vol IV – 182-201). ____. 1984 [1975]. Vigiar e Punir. Petrópolis: Vozes. Pp: 125-152; 153-172; 173-179. ____. 1994. Dits et Ecrits (4 vols). Gallimard, Paris. “L’Oeil Du Pouvoir. ____. 1976. Cours au Collége de France. Paris: Gallimard. Il fault défendre La société; sécurité, territoire, population”. Naissance de la biopolitique”, “Du gouvernement dês vivants”. GAXIE, Daniel (org). 1989. Explication Du vote.Un bilan dês Études lectreales en France. Paris: Presses FNPS. GEERTZ, Clifford. 1991 [1980]. Negara: o Estado Teatro no Século XIX. Lisboa: Difel. GOLDMAN, Marcio; PALMEIRA, Moacir. 1996 . "Apresentação". In: Palmeira, Moacir; Goldman, Marcio. (Orgs.). Antropologia, Voto e Representação Política. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 1996, v. 1, p. 1-12. GOLDMAN, Marcio. 2006. Como funciona a democracia. Uma teoria etnográfica da política. Rio de Janeiro: 7 Letras. GRAHAM, Richard 1990. Patronage and Politics in Nineteenth Century Brazil. Stanford: Stanford University Press. HARDT, Michael & Negri, Toni. 200. Império. Rio de Janeiro: Record. ____. 2004. Multidão. (parte 1). HARDT, Michael. 2000. “A Sociedade Mundial de Controle”. In: Alliez, Eric (org.). Gilles Deleuze. Uma vida filosófica. Rio de Janeiro: Editora 34. PP. 333-355. HERZFELD, Michael. 1992. The Social Production of Indifference. Exploring the symbolic roots of Western bureaucracy. Chicago: Chicago University Press. ____. 2005. Cultural Intimacy. Social Poetics in the Nation-State. Caps.2, 3 (39-92;201-210) ____. 1985. Lévi-Strauss in the Nation-State. Joural of American Folklore. Vol. 98, n. 388. LEAL, Vitor Nunes 1997 [1949]. Coronelismo, Enxada e Voto – o município e o regime representativo no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. LEWIN, Linda. 1979. "Some Histrical Implications of Kinship Organization for Family-Based Politics in the Brazilian Northeast". Comparative Studies in Society and History, vol. 21. Pp. 262-292. LOIZOS, Peter 1976. The Greek Gift. Politics in a Cypriot Village. Oxford: Basil-Blackwell. MARQUES, A. C. D. R., COMERFORD, J. & CHAVES, C. 2007. “Traições, Intrigas, Fofocas, Vinganças. Notas para uma abordagem etnográficas do conflito”. In: MARQUES, A. C. D. R. (Org.). 2007. Conflitos, Política e Relações Pessoais. Campinas: Pontes Editores. Pp: 27-55. MARQUES, A. C. D. R. (Org.). 2007. Conflitos, Política e Relações Pessoais. Campinas: Pontes Editores. MICHELUTTI, Lucia 2007. “The Vernacularization of Democracy: political participation and popular and popular politics in North Índia”. Journal of the Royal Anthropological Institute. OFFERLÉ, Michel. 1993. Le vote comme évidence et comme enigme”. Genèses. 12. PP. 131-151. PALMEIRA, Moacir. 1991. “Política, facção e compromisso. Alguns significados do voto”. Encontro de Ciências Sociais do Nordeste. 1: 111-130. ____ . 1995. Apresentação. Antropologia Social Comunicação do Ppgas, Rio de Janeiro, v. 5, p. I-IV. ____. 1992. Voto: Racionalidade Ou Significado ?. REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS SOCIAIS, p. 26-30, 1992. PALMEIRA , M. G. S. ; HEREDIA, B. 1994. Le Temps de La Politique. Etudes Rurales - Revue Trimestrielle Publiée par le Laboratorie d'Antropologie Sociale du Centre National de la Recherche Scientifique, v. 131-32, p. 73-87 ____ . 2006. O Voto como Adesão . Teoria e Cultura, v. 01, p. 35-58. ____. 1992 . Os Comícios e A Política de Facções. Anuário Antropológico, v. 94, p. 31-94, 1995. SARTRE, Jean-Paul. 1973. “Elections, Pieges à Cons”. Lês Temps Modernes 318: 1099-1108. SPENCER, Jonathan 2007. Anthropology, Politics and the State. Cambridge: Cambridge University Press. VERNANT , Jean Pierre. 1987. L’Individu, la mort, l’amour. Paris: Gallimard. “Entre la honte et la gloire. L’Identité Du jeune spartiate.”. “l’Individu dans la cite”. (PP. 173-232) ____. 1987. “L’Individu atteint au coeur par la puissance publique”. In. Paul Veyne et al. Sur lindividu. Paris: Seuil. PP. 7-19 VEYNE, Paul. 1984. “Os gregos conheceram a democracia?”.Diógenes, n. 6. PP. 57-82.\ VILLELA, J. L. M. “Societas Sceleris – cangaço e formação de bandos armados no sertão de Peranambuco”. Civitas. 1 (2): 143-164. ____. O Povo em Armas. Rio de Janeiro. Tese de Doutorado. PPGAS/MN/UFRJ. 2003. ____ . "Família como grupo? Política como agrupmamento?" Revista de Antropologia, 52: 201-246. 2009 VILLELA, J. e MARQUES, A. C. 2006. "Municipal Elections: favor, vote and credit in the Pernambucan Sertão of Brazil”. The Latin Americanist, 49 (2): 25-63.
 

Clique para consultar os requisitos para FLA0365

Clique para consultar o oferecimento para FLA0365

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP