Informações da Disciplina

Júpiter - Sistema de Graduação

Centro de Energia Nuclear na Agricultura
 
Centro de Energia Nuclear na Agricultura
 
Disciplina: CEN0650 - Estágio Supervisionado em Técnicas Avançadas em Agropecuária II
Supervised Internship in Advanced Techniques in Agriculture II

Créditos Aula: 1
Créditos Trabalho: 3
Carga Horária Total: 105 h ( Estágio: 105 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2016 Desativação:

Objetivos
Fortalecer os conhecimentos básicos adquiridos em relacao a algumas das tecnicas utilizadas em pesquisas agropecuárias. Possibilitar ao aluno aplicar os conhecimentos adquiridos, participando no planejamento e execução de projetos de pesquisa. Desenvolver o espirito critico através da participação na análise de problemas práticos inerentes as atividades de pesquisa.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
2798025 - Adriana Pinheiro Martinelli
 
Programa Resumido
Durante o Estágio Supervisionado os alunos, sob a orientação de pesquisadores do Centro de Energia Nuclear na Agricultura, CENA/USP, terão oportunidade de aprimoramento e aplicação de conhecimentos adquiridos, optando por uma das seguintes áreas deste Centro: Cultura de Tecidos Vegetais; Microscopia Eletrônica; Técnicas Nucleares e Correlatas em Estudos de Produtividade Agropecuária; Técnicas Nucleares para Estudo de Comportamento de Agrotóxicos no Sistema Solo-água-planta; Uso de Técnicas Cromatográficas para Monitoração de Pesticidas em Agroecossistemas; Nutrição de Plantas (Hidroponia); Biologia Molecular de Plantas; Indução de Mutação in vivo e in vitro no Melhoramento de Plantas; Proteínas Vegetais: Caracterização e Aplicações no Melhoramento Vegetal; Qualidade Alimentar e Certificação; Matéria Orgânica do Solo; Técnicas Analíticas Multi-isotópicas no processo solo-planta; Técnicas com 15N em estudos das transformações do nitrogênio em agrossistemas. As at
 
During the Supervised Internship, students will be guided by researchers of the Center for Nuclear Energy in Agriculture (CENA / USP) and will have the opportunity to improve and apply their knowledge in one of the following areas of their choice: Plant tissue culture; Electron microscopy; Nuclear and correlated techniques in studies of agricultural productivity; Nuclear techniques to study the behavior of pesticides in the soil-water-plant system; Use of chromatographic techniques for monitoring of pesticides in agroecosystems; Plant nutrition (Hydroponics); Plant Molecular Biology; In vivo and in vitro induction of mutations in plant breeding; Plant proteins: characterization and applications in plant breeding; Food quality and certification; Soil organic matter; Multi-isotopic analytical techniques in soil-plant process; 15N techniques in studies of transformations of nitrogen in agroecosystems.
 
 
Programa
TÉCNICAS DE CULTURA DE TECIDOS VEGETAIS (Responsáveis: Dra. Adriana P.Martinelli, Dra. Beatriz M. J. Mendes)
- Levantamento bibliográfico para planejamento de um experimento de cultura de tecidos, Preparo de soluções-estoque, Preparo e esterilização de meios de cultura, Manipulação de equipamentos: - balanças, autoclaves, estufas, microondas, pHmetro, fluxo laminar; Preparo e esterilização de material de leboratório: beckers, peneira, azulejos, placas de petri, etc.- Montagem de experimentos:- Coleta e assepsia do material vegetal, Introdução do material vegetal “in vitro”, Manutenção das culturas “in vitro”, Avaliação de experimentos, Análise dos resultados, Redação de trabalhos em formato de artigo científico.
MICROSCOPÍA ÓPTICA E ELETRÔNICA (Responsáveis: Dra. Adriana P.Martinelli).
- Aplicações de Técnicas de Microscopia em Biologia, Conceitos básicos de Microscopia Óptica (MO) e Eletrônica (ME), Constituição e funcionamento do microscópio eletrônico de transmissão (TEM) e varredura (MEV), Considerações teóricas sobre o preparo de espécimen para microscopia: - fixação de tecidos, principais fixadores, propriedades, cuidado com a fixação, soluções tampão -propriedades; desidratação, inclusão dos materiais (no caso de ME de transmissão) uso de resinas – propriedades; -preparo de materiais para microscopia de varredura (MEV) – ponto crítico (metalização), Preparo de materiais em suspensão para diagnósticar (constrastação negativa) doenças de plantas, exames ao microscópio de transmissão, práticas histológicas: preparação de materiais para exame – fixação, desidratação e inclusão, preparo dos tampões, soluções para fixação. Ultramicrotomia (MET) – considerações teóricas, práticas (MET) – trimagem dos blocos, preparação de navalhas, seccionamento dos materiais (obtenção de secções semifinas), limpeza de lâminas e grades, preparo de corantes, coloração de lâminas (para microscopia eletrônica), exames ao microscópio óptico e eletrônico e obtenção de fotografias. Técnicas fotográficas (considerações teóricas e práticas), emulsões e suas propriedades físico químicas, exposição e contraste, revelação, fixação, interpretação de fotografias.
TÉCNICAS NUCLEARES E CORRELATAS EM ESTUDOS DE PRODUTIVIDADE AGROPECUÁRIA (Responsáveis: Dr. Adibe Luiz Abdalla)
A - Introdução: população x produção de alimentos, produtividade animal, produção de ruminantes,
B -Tecnologia Nuclear e Produtividade Animal, técnicas nucleares em estudos de nutrição animal, técnicas nucleares em estudos de reprodução animal, técnicas nucleares em estudos de parasitologia animal.
COMPORTAMENTO E MONITORAÇÃO DE AGROTÓXICOS NO AMBIENTE (Responsável: Dr. Valdemar Luiz Tornisielo)
Princípios da cromatografia gasosa. Cromatografia gasosa acoplada à espectrometro de massa.
Cromatografia de alta performance. Coleta e preparo de amostras para análise. Introdução às técnicas nucleares para estudos de comportamento de agrotóxicos no solo. Métodos para estudos de adsorção/desserção de agrotóxicos. Métodos para estudos de mobilidade/lixiviação de agrotóxicos. Degradação de agrotóxicos em água/solo. Princípios de funcionamento de lisímetros.
BIOLOGIA MOLECULAR DE PLANTAS (Responsável: Dr. Antonio Vargas de Oliveira Figueira)
Manipulações microbiológicas de Escherichia coli, técnicas de manutenção de culturas, estimativa de concentração e diluição de culturas, isolamento de plasmídeos por digestão, transformação de Escherichia coli. Análise de polimosfismos de DNA de vegetais (marcadores moleculares),amplificação de genes específicos pela reação em cadeia da Polimerase (PCR), eletroforese em gel de acrilamida, polimorfismo de DNA amplificado aleatóriamente – (“Random Amplified Polymorphic DNA – RAPD”), microssatélites e sequências simples repetidas. Transformação de plantas por A. tumefaciens - análise de expressão de genes introduzidos em plantas por ensaios histoquímico, fluorométrico e por amplificação com PCR.
QUALIDADE ALIMENTAR E CERTIFICAÇÃO (Responsável: Dra. Siu Mui Tsai)
Produtividade agrícola e qualidade ambiental. A pirâmide de uma alimentação saudável. Produção de plantas com propriedades nutricionais e terapêuticas. Métodos convencionais e avançados para detecção de agentes patogênicos e suas toxinas em produtos agrícolas. Detecção de resíduos orgânicos e metálicos em commodities agrícolas. Processos bióticos em sistemas agrícolas e considerações ecológicas. Poluentes metálicos e sua descontaminação pela biota do solo. A importância da biodiversidade no controle da poluição ambiental. O uso de condicionadores para manutenção da qualidade e sustentabilidade dos solos. Agricultura alternativa e a otimização da atuação da biota do solo na produção vegetal. Agricultura moderna e ambiente: considerações sobre a necessidade do manejo ecológico dos sistemas agrícolas
MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO (Responsáveis: Dra. Brigitte J. Feigl, Prof. Dr. Carlos C. Cerri)
Conceitos básicos. Características dos diferentes compartimentos. Modos nos quais o carbono orgânico influencia a matéria orgânica. Composição global da matéria orgânica do solo. Compartimentos funcionais da matéria orgânica do solo, “turnover time” e composição. Destino dos restos vegetais e animais no solo. Matéria orgânica do solo e efeito estufa. Dinâmica da matéria orgânica do solo: Caso da conversão da floresta em pastagem.
QUÍMICA ANALÍTICA (Responsável Dr. Fábio R. P. Rocha)
Fundamentos, instrumentação e aplicações de técnicas analíticas espectrométricas moleculares (espectrometria UV-vis, fluorescência e quimiluminescência) e atômicas (espectrometrias de absorção e emissão óptica), de análises em fluxo e de técnicas de cromatográficas, Métodos limpos de análise e técnicas de micro-extração.
TÉCNICAS COM 15N EM ESTUDOS DAS TRANSFORMAÇÕES DO NITROGÊNIO EM AGROSSISTEMAS ( Responsável: Dr. Paulo Cesar Ocheuze Trivelin)
Instrumentação para determinação de razão isotópica dos isótopos de nitrogênio (15N/14N). Métodos de preparo de amostras orgânicas e minerais destinados à análise elemental e isotópica de nitrogênio. Princípios da diluição isotópica aplicado em experimentos com nitrogênio. Determinação de taxas de mineralização, nitrificação e imobilização de N no solo. Perdas de N por lixiviação. Eficiência de uso do nitrogênio de fertilizantes pelas plantas cultivadas. Perdas gasosas de N do sistema solo-planta. Balanço de nitrogênio no sistema solo-planta: Procedimento para experimentos com 15N em vaso, lisímetro e em campo. Definições de caminhos e identificação de produtos em experimentos com uso do traçador 15N. Interpretação de resultados em experimentos com 15N.
BIODEGRADAÇÃO E TOXICIDADE DE POLUENTES (Responsável: Dra. Regina Teresa Rosim Monteiro)
Coleta de amostras de solo e água. Preparo de amostras para analise para determinação de pH, oxigênio dissolvido e condutividade. Determinação de umidade e capacidade de campo. Preparo das amostras para ensaios posteriores. Diversos testes utilizados para estudo de degradação de um composto ou produto. Teste de toxicidade para determinação de dose letal, dose de inibição ou dose efetiva de amostras ambientais. Preparo de relatórios. Visitas a empresas e instituições.
TÉCNICAS ISOTÓPICAS E MÉTODOS ANALÍTICOS EM ESTUDOS DE RECONSTRUÇÃO PALEOAMBIENTAL(Responsável: Dr. Luiz Carlos Ruiz Pessenda)
Objetiva-se apresentar técnicas isotópicas (Datação 14C e isótopos estáveis do carbono no solo e das plantas e N em sedimentos) e métodos analíticos (Espectrômetro de massa acoplado a acelerador – AMS, análise de pólen de sedimentos) utilizados en estudos de reconstrução paleoambiental no quaternário tardio, enfatizando as trocas de vegetação e clima ocorridas em distintas regiões brasileiras nos últimos 20000 anos.
FERTILIDADE DO SOLO E ADUBAÇÃO MINERAL E ORGÂNICA (Responsáveis: Dr. Takashi Muraoka e Dr. Cássio Hamilton Abreu Junior)
Levantamento de uma hipótese de trabalho. Avaliação da fertilidade do solo. Avaliação do estado nutricional de plantas. Correção da acidez do solo e adubação. Poluição do solo. Métodos isotópicos em fertilizantes do solo e nutricional vegetal. Isótopos radioativos x isótopos estáveis. Elaboração de um projeto. Instalação de um experimento. Obtenção de amostra de solo. Montagem do experimento em casa de vegetação. Condução do experimento. Coleta de amostras de terra e planta. Análise química das amostras de terra e material vegetal. Análise e interpretação dos resultados. Confecção de relatório final.
MODELAGEM E MEDIÇÃO EM FÍSICA DO SOLO (Responsável: Dr. Quirijn de Jong van Lier)
Conceitos básicos sobre processos físicos no solo, sua medição e modelagem. Relação solo-planta-atmosfera. Processos de transferência de energia e massa no solo. Balanço hídrico e térmico do solo. Interação solo-raiz. Utilização de modelos hidrológicos e de predição de rendimento de culturas agrícolas. Sensibilidade à seca das plantas. Laboratório de física do solo: determinação da curva de retenção, condutividade hidráulica e da granulometria do solo.
BIOTECNOLOGIA MICROBIANA (Responsável: Dra. Marli de Fátima Fiore)
Biodegradação de substâncias tóxicas por cianobactérias. Destoxificação de metais pesados por cianobactérias. Metabólicos secundários produzidos por cianobactérias. Biodiversidade de cianobactérias
em solos e água. Taxonomia molecular de cianobactérias. Fixação biológica de nitrogênio por cianobactérias.
ANÁLISE POR ATIVAÇÃO NEUTRÔNICA INSTRUMENTAL (INAA) E ESPECTROMETRIA GAMA DE ALTA RESOLUÇÃO (Responsável: Dra. Elisabete A. De Nadai Fernandes)
Fundamentos da técnica de espectrometria gama de alta resolução e análise por ativação neutrônica. Princípios de funcionamento de espectrômetros gama. Características físicas dos principais radionuclídeos presentes em matrizes biológicas e geológicas, com destaque à emissão de raios gama. Análise por ativação neutrônica pelo método k0. Avaliação e interpretação de resultados. Auxílio em atividades técnico-científicas. Princípios de metrologia em química e sistema da garantia da qualidade. Participação em ensaios de intercomparação laboratorial. Acompanhamento de atividades e projetos de pesquisa do laboratório
 
 
 
Avaliação
     
Método
Critério
Relatório de estágio
Norma de Recuperação
não há
 
Bibliografia
     
CULTURA DE TECIDOS VEGETAIS
Gamborg, O.L. & Philips, G.C. (Eds.) 1995. Plant Cell, Tissue and Organ Culture. Fundamental Methods. Sringer. 358p. Raven, P.H.; Evert, R.F. & Eichron, S.E. 1996. Biologia Vegetal. 5ª ed. Editora Guanabara Koogan S.A. 728p. Torres, A. C. & Caldas, L.S. 1990. Técnicas e aplicações de cultura de tecidos de plantas. ABCTP/EMBRAPA-CNPH. 433p. Trigiano, R.N. & Gray, D.J. 1996. Plant Tissue Culture Concepts and Laboratory Exercises. CRC Press. 374p. Vasil, I.K. & Thorpe, T.A. 1994. Plant Cell and Tissue Culture. Kluwer Academic Publishers. 593p. - Periódicos: Plant Cell Tissue and Organ Culture, Plant Cell Reports, Plant Science, in Vitro Cellular and Developmental Biology, Plant Physiology, Fruits.
MICROSCOPIA
Bozzola, J.J. & Russel, L.D. 1992. Eletron Microscopy: principles and techniques for biologists. Jones and Bratlett Publishers, Boston, 542p. Dawes, C.J. Biological techniques in electron microscopy. Chapman and Hall Ltda. London, 193p. 1971. Hayat, M.A. 1972. Principles and Techniques of Electron Microscopy: Biological applications. V. 1 e 2. Van Nostrand Reinhold Company, New York. Hayat, M.A. 1974. Principles and Techniques of Scanning electron microscopy. Van Nostrand Company, 1967. Ledbetter, M.C. & Porter, K. R., 1970. Introduction tothe fine structure of plant cells. Springer-Verlag, New York, 188p. Meek, G.ª Pratical Electron Microscopy for Biologists. Wiley Interscience, London, 1970. Postek, M. T.; Howart, K.S.; Johnson A.H. & McMichel, K.L. 1980. Scanning Electron Microscopy. A student’s handbook. Ladd Research Industries, Inc. 305p. Sjostrand, F.S. Electron Microscopy of Cell and Tissues. Vol. I: Instrumentation and Techniques. Academic Press. New York, London, 1967.
TÉCNICAS NUCLEARES E CORRELATAS EM ESTUDOS DE PRODUTIVIDADE AGROPECUÁRIA.
IAEA Tracer techniques in tropical animal production. IAEA. Viena. 1974. 210pp., IAEA. Laboratory training manual on the use of nuclear techniques in animal research. IAEA, Viena. 1979. 300pp. , IAEA. Laboratory training manual on radioimmunoassay in animal reproduction. IAEA, Viena. 1984. 270pp., IAEA. Nuclear and related techniques in animal production and health. IAEA. Viena. 1986. 696pp.
COMPORTAMENTO E MONITORAÇÃO DE AGROTÓXICOS NO AMBIENTE.
Borner, H.(editor) Chemistry of Plant Protection. 9 Pesticides in Ground and Surfacre Water. Spring-verlag, Berlin, 1994, 297p. Racke, D.K. & Coats J.R. (Ed) Enchanced Biodegradation of Pesticides in the Environment – ACS Symposium Series, 426, Washington, DC, 1990. 302p, Audus, L.J. (Ed). Herbicides Physiology, Biochemistry, Ecology. 2nd Ed. Academic Press, N. York, 1964, Vol. II, 564p. Lyman, W.J. Reehl, W.F. & Rosenblatt, D.H. (eds.) Handbook of Chemistry Prpperty Estimation Methods – Environmental Behavior of Organic Compounds. American Chemical Society, Washington, 1990. Cheng H.H. (ed). Pesticides in ther soil Envitonment: Processes, Impacts, and Moldeling. Soil Science Society of Amarica Book Series (Number 2), Madison, 1990, 530p. Sawhney, B.L. & K. Brown (eds.) Reactions and Movement of Organic Chemicals in Soils. Soil Science Society of America, Madison, 1989, 474p. Hell, I.R. Pesticides Microbiology; microbial aspects of pesticides behavior in the environment. New York: Academic Press, 1978.
BIOLOGIA MOLECULAR DE PLANTAS
Brasileiro, A.C.M. Manual de transformação de genética de plantas. Brasilia, DF: Embrapa 1968. Ferreira, M.E.; Grattapaglia, D. Introdução ao uso de marcadores moleculares em análise genética. Brasilia, DF: Embrapa, 1996. Glick, B.R.; Pasternak; J.J. Molecular biotecnology: principles and applications of recombinant DNA. Washington, DC: ASM Press, 1994., Potrykus, I; Spangerberg, G. Gene transfer to plants. Berlin: Springer Lab. Manual, 1995. , Achuler, M.A.; Zielinski, R.E. Methods in plant molecular biology. San Diego, CA: Academic Press, 1989., Watson, J.D.; Gilman, M.; Witkowski, J.; Zoller, M. Recombinant DNA, New York, NY : Scientific American Books, 1962.
QUALIDADE ALIMENTAR E CERTIFICAÇÃO
Brasil Ministério da Saúde, Org. Pan-Americana da Saúde. 2010. Marco Legal Brasileiro sobre Organismos
Geneticamente Modificados, Brasília-Ministério da Saúde, 218p. Gombossy B.D.G. de Melo e Landgraf
M. 2001. Microbiologia de Alimentos. Ed. Guanabara, RJ-Rio de Janeiro, 192p. Heller, K.J. 2006
Genetically Engineered Food: Methods and Detection. Ed. Willey-VCH. Vermelho et al. 2006.
Zel, J. et al. 2011. How to Reliably Test for GMOs. Ed. Springer.
QUÍMICA ANALÍTICA
D.A. Skoog, D. M. West, F. J. Holler, S.R. Crouch. Fundamentos de Química Analítica, 8a ed., Trad. de Marco Tadeu Grassi, Cengage Learning, São Paulo, 2006; D.A. Skoog, F.J. Holler, S.R. Crouch. Princípios de Análise Instrumental, 6ª ed., Trad. de Celio Pasquini et al., Bookman, Porto Alegre, 2009; D.C. Harris, Análise Química Quantitativa, 7ª ed., Trad. de J. Bordinhão et al., LTC, Rio de Janeiro, 2008; F.J. Krug, J.A. Nóbrega e P.V. Oliveira. Espectrometria de absorção atômica. CENA-USP, Piracicaba, 2001, 41p. (postila); F.J. Krug e J.A. Nóbrega. "Alguns termos recomendados pela IUPAC em espectrometria de absorção e emissão atômica". CENA-USP, Piracicaba, 1994, 10p.(postila); F. R. P. Rocha, H. Bergamin Filho, F. J. Krug, E.A.G. Zagatto. "Princípios de espectrofotometria ultravioleta e visível. CENA-USP, Piracicaba, 1988, 26p. (postila); M.F. Giné. Espectrometria de emissão atômica. Piracicaba, Série didática
TÉCNICAS COM 15N EM ESTUDOS DAS TRANSFORMAÇÕES DO NITROGÊNIO EM AGROSSISTEMAS.
Boutton, T.W.; Yamsahi, S. Mass Spectrometry of soils. Marcel Dekker, New York, 1996, 517p. Lara Cabezas, W.A.R.; Trivelin, P.C.O.; Bendassolli, J.A.; SANTANA, D.G.; Gasho, G.J. Calibration of a semi-open static colletor for determination of ammonia volatilization from nitrogen fertilizers. Communications in Soil Science and Plant Analysis, v. 30, n3&4, p. 419-426, 1999. Knowles, R.; Blackburn, T.H. Nitrogen Isotope Tecniques. Academic Press, San Diego, 1993. 311p. Stevenson, F.J. Nitrogen in Agricultural Soils. Madson, American Society of Agronomy, 1982. Monograph n1 22, 940p. Trivelin, P.C. O.; Salati, E.; Matsui, E. Preparo de amostras para análise de 15N por espectrometria de massa. Piracicaba, CENA, 1973. 4ªp. (Boletim Técnico, 2). Trivelin, P.C.O.; Lara Cabezas, W.A.R.; Victória, R.L.; Reichardt, K. Evaluation of a 15N plot design for estimating plant recovery of fertilizer nitrogen applied to sugar cane. Scientia Agricola, Piracicaba, v. 51, n.2, p.226-234 1994. Trivelin, P.C.O.; Victória, R.L.; Rodrigues, J.C.S. Aproveitamento por soqueira de cana-de-açucar de final de safra do nitrogênio de aquamônia-15N aplicado ao solo em complemento à vinhaça. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.30, n.12p.1375-1385, 1995. Trivelin, P.C.O.; Rodrigues, J.C.S.; Victória, R.L. Utilização por soqueira de cana-de-açucar de início de safra do nitrogênio da aquamônia-15N e uréia-15N aplicado ao solo em complemento à vinhaça. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.31, n.2,p.89-99, 1996.
BIODEGRADAÇÃO E TOXICIDADE DE POLUENTES
Josep G. Canadell, Diane E. Pataki, Louis F. Pitelka, (eds.) Terrestrial ecosystem in a changing world. USA: Springer, 2007. ISBN: 978-3-540-32729-5 (Print) 978-3-540-32730-1 (Online).
Stegmann, Rainer Treatment of contaminated soil: fundamental, analyses and application, USA: Springer, 2001.
Alexander, M. Biodegradation and Bioremediation. 1ª edição. San Diego: Academic Press, 1994, 302p. Pierzynski, Gary M. Vance, G.F. Sims, J.T. Soils and Environmental Quality. CRC Press, 2005, 584p.
Alvarez, A. e Polti, M.A. (Ed.) Bioremediation in Latin America: Current Research and Perspectives. Springer, 2013.
Swartjes, F. A. (Ed.) Dealing with Contamined Sites. Springer., 2011.
MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO
Coleman, D.C., Oades, J.M.; Uehara, G. Dynamics of soil organic matter in tropical ecosystems Published by Niftal Project, 1989, 198p. Coleman, D.C.; Fry, B. Carbon isotope techniques. Academic Press. Inc. 1991 274p. Stevenson, F.J. Humus Chemistry. Genesis Composition, Research. John Wiley & Sons, 1982. Stevenson, F.J. Cycles of soil: carbon, nitrogen,phosphorus, sulfur, micronutrientes. A Wiley-Interscience Publication John Wiley & Sons, New York, 1986, 380p. Tan, K.H. Principles of soil chemistry. Marcel Dekker, Inc. (2nd Ed.) New York, 1993, 132p. Woomer, P.L.; Swift, M.J. (Eds) The biological management of tropical soil fertility. John Wiley & Sons, New York, 1994, 243p.
TÉCNICAS ISOTÓPICAS E MÉTODOS ANALÍTICOS EM ESTUDOS DE RECONSTRUÇÃO PALEOAMBIENTAL
BUSO JUNIOR, A.A.; VOLKMER-RIBEIRO, C.; PESSENDA, L.C.R.; MACHADO, V.S. 2012. Anheteromeyenia vitrea (Porifera: Demospongiae) new species of continental sponge in Brazil. Neotropical Biology and Conservation, 7(3):148-157.
BUSO JUNIOR, A.A.; PESSENDA, L.C.R.; DE OLIVEIRA, P.E.; GIANNINI, P.C.F.; COHEN, M.C.L.; VOLKMER-RIBEIRO, C.; OLIVEIRA, S.M.B.; FAVARO, D.I.T.; ROSSETTI, D.F.; LORENTE, F.L.; BOROTTI FILHO, M.A.; SCHIAVO, J.A.; BENDASSOLLI, J.A.; FRANÇA, M.C.; GUIMARÃES, J.T.F.; SIQUEIRA, G.S. From an estuary to a fresh water lake: a paleo-estuary evolution in the context of Holocene sea-level fluctuations, southeastern Brazil. Radiocarbon, v. 55, n. 2-3: 1735-1746, 2013a.
BUSO JUNIOR, A.A.; PESSENDA, L.C.R.; DE OLIVEIRA, P.E.; COHEN, M.C.L.; GIANNINI, P.C.F.; SCHIAVO, J.A.; ROSSETTI, D.F.; VOLKMER-RIBEIRO, C.; OLIVEIRA, S.M.B.; LORENTE, F.L.; BOROTTI FILHO, M.A.; BENDASSOLLI, J.A.; FRANÇA, M.C.; GUIMARÃES, J.T.F.; SIQUEIRA, G.S. Late Pleistocene and Holocene vegetation, climate dynamics, and Amazonian taxa at Atlantic Rainforest – Linhares, ES, southeastern Brazil. Radiocarbon, v. 55. N. 2-3: 1747-1762, 2013b.
PESSENDA, L.C.R., LEDRU, M.P., GOUVEIA, S.E.M., ARAVENA, R., RIBEIRO, A.S., BENDASSOLLI, J.A., BOULET, R. 2005. Holocene palaeoenvironmental reconstruction in northeastern Brazil inferred from pollen, charcoal and carbon isotope records. The Holocene 15 (6), 814-822.
PESSENDA, L. C. R. et al. Interdisciplinary paleovegetation study in Fernando de Noronha Island (Pernambuco State), northeastern Brazil. Anais da Academia Brasileira de Ciências, Rio de Janeiro, v. 80, n. 4, p. 677-691, 2008.
PESSENDA, L. C. R. et al. The evolution of a tropical rainforest/grassland mosaic in southeastern Brazil since 28000 14C yr BP based on carbon isotopes and pollen records. Quaternary Research, San Diego, v. 71, p. 437-452, 2009.
PESSENDA, L.C.R., SAIA, S.E.M.G., GOUVEIA, S.E.M., LEDRU, M-P., SIFEDDINE, A., AMARAL, P.G.C., BENDASSOLLI, J.A., 2010. Last millennium environmental changes and climate inferences in the Southeastern Atlantic forest, Brazil. Anais da Academia Brasileira de Ciências 82 (3), 717-729.
FERTILIDADE DO SOLO E ADUBAÇÃO MINERAL E ORGÂNICA.
Alloway, B.J. Heavy Metals in soils. New York. John Wiley & Sons, 1993. 339p. Malavolta, E. Fertilizantes e seu impacto ambiental: metais pesados, mitos, mistificação e fatos. São Paulo: ProduQuímica, 1994, 153p., Malavolta, E., Vitti, G.C., Oliveira, S.A. Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. 2ed. Piracicaba: Potafos, 1997. 319p. Muraoka, T. Técnicas isotópicas nos estudos da fertilidade do solo. In Oliveira, A.J. et al., Coord. Métodos de pesquisa em fertilizantes do solo. Brasília: Embrapa-SEA, 1991. P.255-273., Raij, B. van.; Cantarella, H. Quaggio, J.A.; Furlan, A.M.C. Recomendação de adubação e Calagem para o Estado de São Paulo. 2ed.Campinas:IAC, Fundação, 1996. 285p.; Raij, B. van; Quaggio, J.A.; Cantarella, H. ; Ferreira, M.E.; Lopes, A.S.; Bataglia, O.C. Análise química do solo para fins de fertilidade. Campinas: Fundação Cargill, 1987. 170p.
MODELAGEM E MEDIÇÃO EM FÍSICA DO SOLO
de Jong van Lier, Q. (Org.) . Física do Solo. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2010. 298 p.; Hillel, D. Introduction to Environmental Soil, 1st edition, ISBN-13: 978-0123486554, 2003. Dane, J.H., Topp, G.C. Methods of Soil Analysis Part 4: Physical Methods. Soil Science Society of America, 2002. Campbell, G,S., Norman, J.M. An introduction to Encironmental Biophysics. 2nd edition, Springer, 1998
BIOTECNOLOGIA MICROBIANA
Alexander M. 1999. Biodegradation and bioremediation. Academic Press, San Diego. Bryant, D.A. 1995. The Molecular Biology of Cyanobacteria. Kluwer Academic Publishers, Dordrecht. The Netherlands. Chorus, I.; Bartram, J. Toxic cyanobacteria in water: A guide to their public health consequences, Monitoring and management. 1999. E & FN Scpon, london. 416p.; Garrity, G. Berge’s manual of systematic bacteriology: The archae, cyanobacteria, phototrophs and deeply braching bacteria. 2000. Springer Verlag. 560p.; Melo IS, Azevedo JL (1997) Microbiologia Ambiental. CNPMA/EMBRAPA, Jaguariúna, 440p.; Salomons, W.; Forstner, U. and Mader, P. 1995. Heavy Metals. Problems and Solutions. Springer-Verlag Berlin Heidelberg.; Stacey, G. Burris, R.H. and Evans, H.L. 1992. Biological nitrogen fixation. Chapman & Hall, Routledge, New York.; Tessi A, Turner DR (1995) Metal speciation and bioavailability in aquatic systems. John Wiley & Sons, New York. 679p.; Wong, Y.S. and Tam, N.F.Y. 1998. Wastewater treatment with algae. Springer-Verlag Berlin Heidelberg and Landes Bioscience Georgetown TX, USA.
ANÁLISE POR ATIVAÇÃO NEUTRÔNICA INSTRUMENTAL (INAA) E ESPECTROMETRIA GAMA DE ALTA RESOLUÇÃO.
De Soete,D.; Gijbels, R.; Hoste, J. Neutron activation analysis. London: John Wiley, 1972. 836p.; Ehmann, W.D.; Vance, D.E. Radiochemistry and nuclear methods of analysis. New York: John Wiley, 1991. 531p.; Bacchi, M.A. Fernandes, E.A.N., Oliveira, H. Brazilian experience on to standardized neutron activation analysis. Journal of Radianalysis and Nuclear Chemistry, 245:217-222, 2000.; Alfassi, Z.B. Activation analysis. Florida: CRC Press, 1990. V.1, 172p.; Parry, S.P. Activation spectrometry in chemical analysis. New York: John Wiley & Sons, 1991, v.119. 243p.,IHNAT, M. Certification. In: STOEPLER, M.; WOLF, R. W.; JENKS, P. J. Reference materials for chemical analysis - certification, avalilability and proper usage. Weinheim: Wiley-VCH Verlag, 2000. cap. 3, p. 49-110.,HÄSSELBARTH, W. Classification of reference materials. In: ZSCHUNKE, A. (Ed.) Reference materials in analytical chemistry - a guide for selection and use. Berlin: Springer-Verlag, 2000. cap. 2, p. 9-23., DE BIÈVRE, P. Traceability of (values carried by) reference materials. Accreditation Quality Assurance, v.5, p.224-230, 2000.,DUBE, G. Metrology in chemistry - a public task. Accreditation and Quality Assurance, v.6, p.3-7, 2001., DYBCZYŃSKI, R., Preparation and use of reference materials for quality assurance in inorganic trace analysis, Food Additives and Contaminants, v.19, n. 10, p. 928-938, 2002., LISINGER, T.P.J.; PAUWELS, J.; VAN DER VEEN, A.; SCHIMMEL, H. LAMBERTY, A. Homogeneity and stability of reference materials. Accreditation and Quality Assurance, v.6, p.20-25, 2001., WEIZHI, T.; BANGFA, N.; PINGSHENG, W.; HUILING, N. Suitability of NAA for certification of reference materials for multielements. Journal of Radioanalytical and Nuclear Chemistry, v. 245, p. 51-56, 2000., ZSCHUNKE, A. “Metrology in chemistry” - , Analytica, Munich, Germany, 12 March 2000. Accreditation and Quality Assurance, v.6, p.2, 2001., BODE, P.; FERNANDES, E.A.N.; GREENBERG, R.R. Metrology for chemical measurements and the position of INAA. Journal of Radioanalytical and Nuclear Chemistry, v.245, n.1, p.109-114, 2000., BACCHI, M.A.; FERNANDES, E.A.N. Quantu - design and development of a software package dedicated to k0-standardized INAA. Journal of Radioanalytical and Nuclear Chemistry, 2001. v.257, n.3, p.577-582, 2001., BACCHI, M.A.; FERNANDES, E.A.N.; OLIVEIRA, H. Brazilian experience in k0 standardized neutron activation analysis. Journal of Radioanalytical and Nuclear Chemistry, v.245, n.1, p.217-222, 2000., INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION - ISO. Requisitos gerais para competência de laboratórios de ensaio e calibração - Rio de Janeiro: ABNT, 2000. (NBR ISO/IEC 17025).
BIBIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BIODEGRADAÇÃO E TOXICIDADE DE POLUENTES
Tyagi, M.; Fonseca, M.M.R., Carvalho, C.C.C.R. Bioaumentation and biostimulation strategies to improve the effectiveness of bioremediation process. Biodegradation, 22:231-241.2009
 

Clique para consultar os requisitos para CEN0650

Clique para consultar o oferecimento para CEN0650

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP